Rádio Ponto News
Play Store
Domingo, 22 de Maio de 2022 23:26
63 98426-4893
Capital Cuiabá

Cuiabá | Cuiabá contabiliza mais de seis mil casos de Sífilis e Secretaria de Saúde chama atenção para diagnóstico precoce

Os testes encontram-se disponíveis nas UBS da cidade, bem como a medicação recomendada para o tratamento

14/05/2022 10h00
Por: Redação Fonte: NATHANY GOMES
Foto: Divulgação Luiz Alves
Foto: Divulgação Luiz Alves

A Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica de Cuiabá contabilizou, nos últimos dez anos, mais de seis mil casos da Sífilis no município, uma enfermidade sistêmica causada pelo Treponema pallidum, uma bactéria Gram-negativa do grupo das espiroquetas. O modo de transmissão pode ser pelas vias sexual, vertical e sanguínea, sendo as duas primeiras as principais formas de transmissão. Seguindo esse panorama, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) chama a atenção da população sobre a importância do diagnóstico precoce. 

Os testes encontram-se disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade, bem como a medicação recomendada para o tratamento. A doença pode ser contraída de três formas: a primeira é adquirida sem a utilização dos métodos de prevenção durante o ato sexual, a segunda em Gestantes, quando há disseminação pelos vasos sanguíneos e por último a Congênita, quando o bebê é infectado via placentária logo nos primeiros dias de vida. 

De acordo com levantamento fornecido pela Vigilância Epidemiológica, de 2011 a 2021, a cidade registrou o total de 6.691 casos desta patologia, sendo 4.868 do tipo adquirida, 1.295 em gestantes e 528 congênita e a maior probabilidade encontra-se em residentes entre 20 a 29 anos. 

A gerente da Vigilância, Flávia Guimarães explica que trata-se de uma doença de baixo risco se for diagnosticada precocemente e os protocolos indicados para tratamento são de curto espaço de tempo. "O paciente pode ir até uma de nossas unidades de saúde e solicitar o teste, nos ajudando a alcançar o nosso objetivo que é a redução dos casos", disse.

Ela pontua que o aumento do número de casos positivos traz à tona a melhora no acesso ao diagnóstico e agilidade conquistada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) perante a identificação da Sífilis, evitando a evolução para os quadros graves. "As notificações são feitas por qualquer profissional de saúde, sejam eles da Atenção Primária, Secundária ou Terciária, pois quando vista precocemente é de fácil tratamento", completou. 

Em relação à mortalidade infantil em decorrência da Sífilis Congênita, no mesmo período citado, foram declarados no Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) onze óbitos. 

 

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias