Segunda, 29 de Novembro de 2021 14:03
63 98426-4893
Saúde Saúde

TV Brasil são finalistas no prêmio NHR de jornalismo

Hanseníase e leishmaniose foram temas abordados pela TV pública

19/10/2021 06h30
Por: Redação Fonte: Pedro Ivo de Oliveira TV Brasil
Foto Divulgação Marcello Casal JrAgência Brasil
Foto Divulgação Marcello Casal JrAgência Brasil

A NHR Brasil - escritório de representação da NLR (Netherland Leprosy Relief, na sigla em inlgês) - divulgou hoje (15) os finalistas do prêmio NHR Brasil de Jornalismo. A TV Brasil, emissora pública da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), foi selecionada em duas categorias: Telejornalismo e Especial - Doenças Tropicais Negligenciadas.

A reportagem Janeiro é o mês da conscientização sobre a hanseníase, da repórter Manuela Castro, foi veiculada em janeiro de 2021 no telejornal Repórter Brasil e alertou o poder público sobre a falta de medicamentos no combate à hanseníase - doença que ataca terminações nervosas e pode se agravar rapidamente caso não seja tratada. O Brasil teve 312 mil novos casos registrados nos últimos dez anos, o que coloca o país na segunda posição no ranking mundial da doença, atrás da Índia. A média de incidência da doença é de 30 mil novos casos por ano apenas no Brasil.

“A reportagem mostra uma situação complicada. Por causa da pandemia, uma população que já era negligenciada deixou de receber medicamentos extremamente importantes. A interrupção do tratamento com esses remédios causa sequelas gravíssimas, inclusive a perda de extremidades. Se a pessoa faz o tratamento, que é oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), ela consegue conter a doença”, relatou a repórter indicada ao prêmio.

“Incitamos o Poder Público e trouxemos à tona o assunto. E esse é exatamente o papel da comunicação pública: trazer debates que não têm espaço na mídia tradicional e causar impacto na sociedade, mudar a vida das pessoas”, informou Manuela, que escreveu um livro sobre os impactos da hanseníase em uma comunidade isolada em Goiás.

Caminhos da Reportagem

Causada por um protozoário, a leishmaniose afeta cerca de 20 mil pessoas ao ano no Brasil e é considerada uma das doenças tropicais negligenciadas. A zona rural de Corte de Pedra, no interior da Bahia, é considerada uma região endêmica quando o assunto é a leishmaniose cutânea.

O programa Caminhos da Reportagem, da TV Brasil, explica as diferenças entre as manifestações da doença, além de acompanhar a vida de pessoas infectadas e a realidade das comunidades carentes que sofrem com a leishmaniose.

O resultado do prêmio será revelado durante a edição de 2021 do encontro da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), o MedTrop Play, que acontece em 25 de outubro.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Vida e Saúde
Sobre Vida e Saúde
Ele1 - Criar site de notícias