Segunda, 29 de Novembro de 2021 14:01
63 98426-4893
Geral Carnaval

Globo "esquece" pandemia e exalta volta do Carnaval com Eduardo Paes sambando em meio à multidão

Eduardo Paes prestigia retomada de atividades na quadra da Mangueira, na Zona Norte do Rio

18/11/2021 14h00
Por: Redação Fonte: JCO CORTES
Foto: Divulgação Fotomontagem - Reprodução Internet
Foto: Divulgação Fotomontagem - Reprodução Internet

Com esta manchete, na sessão ‘Carnaval’, o Portal G1 publicou uma nota sobre a retomada das atividades na escola de samba Estação Primeira de Mangueira, no Zona Norte do Rio, na noite de sábado (13).

A matéria trouxe ainda fotos do prefeito do Rio de Janeiro ao lado de carnavalescos e da rainha da bateria da escola, citando que Paes participava do ato “com grande estilo”.

O que se observa aqui, é que as matérias da Globo sobre o Carnaval, em todos os seus veículos de comunicação, tem ganhado cada vez mais espaço, enquanto, curiosamente, as notícias sobre a pandemia, o número de mortos, a quantidade gigantesca de vacinados e, olhem só, a falta do uso da máscara, praticamente se extinguiram, sendo exibidas em cantos de página, com pouco destaque.

Reprodução Internet

O flagrante da hipócrita mudança “editorial” pode ser comprovada na mesma nota de Carnaval em que mostra Maia na quadra da Mangueira:

“Paes chegou a ser criticado em redes sociais por não usar máscara, contrariando a determinação dele de manter seu uso em ambientes fechados.
A quadra da Mangueira tem o teto retrátil, que estava aberto na noite sem chuva”, diz o último parágrafo do texto.

Reparem que a falta do uso da máscara pelo prefeito é algo apenas “notado por críticas nas redes sociais”, e não mais por quem escreveu a reportagem, como ocorria até dias atrás, principalmente quando o personagem a ser criticado era o presidente Jair Bolsonaro.

A desculpa, obviamente, o teto retrátil da quadra. Afinal, a céu aberto, com o “ar puro entrando e circulando livremente”, não há vírus que resista e a chance de contaminação é mínima, não é mesmo?. E enquanto isso, na maioria das cidades do país, circular nas ruas sem máscara ainda pode gerar multas.

Mas a Globo, sim a Globo e a sua ‘ciência implacável e irrefutável’, se adapta rapidamente às ‘novas necessidades'.

Em fevereiro de 2020, enquanto o vírus chinês avançava pela Europa, Bolsonaro publicava um Decreto de Emergência de Saúde Pública e orientava para que o Carnaval fosse suspenso em todo o país. Não deram ouvidos ao ‘negacionista’, e milhões (incluindo turistas estrangeiros), saíram às ruas para festejar. O que se viu na sequência, todos já sabem.

Neste exato momento, surgem cada vez mais notícias de que há um novo avanço da doença, outra vez na Europa (apesar do altíssimo índice de vacinação) e até mesmo de governos determinando o fechamento de alguns locais, como ocorre na Holanda.

A história, entretanto, parece se repetir, e o Carnaval de 2022 virá com tudo e ‘vitaminado’ – para compensar seu cancelamento em 2021, dizem alguns. Eduardo Paes já avisou que em ‘sua cidade’ serão 40 dias (coincidentemente, o mesmo tempo que, segundo o Novo Testamento, Jesus ficou no deserto, em jejum, sendo desafiado pelo diabo”).

Mas o desespero e a falta de dinheiro do fique em casa e a economia a gente vê depois, parece ter apertado pra valer até seus mais ferrenhos defensores. As cidades precisam arrecadar mais e compensar as perdas com o turismo. E a Globo… bem, a Globo precisa dar um jeito de arrecadar milhões e milhões com patrocinadores, urgentemente, pois as portas nunca estiveram tão perto de serem fechadas.

Ah, mas, não se preocupem pois, se após a grande festa de Baco, a tal pandemia voltar com tudo, já há um culpado. O ‘genocida’ que causa aglomeração por onde passa, com o povo fazendo questão de segui-lo onde ele estiver, ainda que em distantes países do Oriente Médio.

Confira abaixo o vídeo em que Eduardo Paes samba alegremente em uma quadra lotada.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Opinião Ponto e Vírgula
Sobre Opinião Ponto e Vírgula
Onde o leitor tem a vez
Ele1 - Criar site de notícias