Segunda, 29 de Novembro de 2021 15:20
63 98426-4893
Política Politica

O PSDB chega ao fim, derrotado pelo próprio PSDB e abre a vala para o PT com o fim do “Pacto de Princeton”

A disputa caseira não teve um desfecho. Foi suspensa. Acusações recíprocas demonstram um racha irremediável no partido e a péssima índole de seus principais componentes.

23/11/2021 09h30 Atualizada há 6 dias
Por: Redação Fonte: Gonçalo Mendes Neto
Foto Divulgação
Foto Divulgação

O PSDB caiu em sua própria arapuca e deu uma demonstração nacional de que não merece um pingo de confiança.

A disputa caseira não teve um desfecho. Foi suspensa. Acusações recíprocas demonstram um racha irremediável no partido e a péssima índole de seus principais componentes.

A derrocada do tucanato põe irremediavelmente um ponto final no abominável “Pacto de Princeton”.

O pacto rezava pela manutenção do poder nas mãos da esquerda. Se não vence um, vence o outro.

Mediante essa estratégia política, nada honesta, a esquerda conseguiu governar desde 1985, depois, de 1995 a 2018, primeiro com Fernando Henrique Cardoso (2 mandatos consecutivos), depois com Lula (igualmente 2 mandatos), e Dilma Rousseff (1,5 mandatos).

Prosseguiu com o mandato “tampão” de Michel Temer (2 anos), que substituiu Dilma, de quem era “vice”, nos dois últimos anos do seu segundo mandato, em vista do impeachment.

Essa “combinação” havia sido feita nos Estados Unidos, um pouco antes da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso, em 1994.

Esse acordo diabólico entre as duas correntes da esquerda foi firmado na cidade de Princeton, Estados Unidos, entre o então representante do FORO DE SÃO PAULO, Lula da Silva, e o representante do DIÁLOGO INTERAMERICANO, o socialista Fabiano, Fernando Henrique Cardoso, em janeiro de 1993,um ano antes das eleições que conduziriam FHC à Presidência da República.

O pacto deu certo durante 23 anos.

A eleição de Bolsonaro pôs fim a esse pacto macabro que arruinou o país.

A dificuldade do atual presidente em governar são consequências remanescentes desse acordo espúrio que aparelhou completamente o país.

Por isso uma reeleição de Bolsonaro põe um fim definitivo a essa etapa terrível da nossa história.

O PSDB, como demonstram as prévias suspensas, já se autodestruiu. O PT, que ainda sobrevive graças ao fictício fôlego do lulopetismo, a organização criminosa que saqueou o país, fatalmente vai cair na mesma vala.

A derrota de Lula será a derrota da quadrilha e o fim do que ainda resta do PT.

O pacto acabou...

 

Gonçalo Mendes Neto. Jornalista.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias