Sexta, 28 de Janeiro de 2022 15:42
63 98426-4893
Geral Politica

Bolsonaro explica como a oposição tenta inviabilizar auxílio de R$ 400 reais para a população carente

Essa é a conclusão, após ouvir a resposta do presidente da República em questionamento feito pelo jornalista Luis Ernesto Lacombe

27/11/2021 09h30 Atualizada há 2 meses
Por: Redação Fonte: Redação
Foto Divulgação Reprodução Rede TV
Foto Divulgação Reprodução Rede TV

A decisão do Supremo Tribunal Federal pelo pagamento de quase R$ 100 bilhões de reais em precatórios pode fazer parte de uma ação coordenada e alinhada pelos partidos de oposição para tentar inviabilizar o governo Bolsonaro politicamente, às vésperas de uma eleição.

Essa é a conclusão, após ouvir a resposta do presidente da República em questionamento feito pelo jornalista Luis Ernesto Lacombe, durante entrevista exclusiva levada ao ar na Rede TV, nesta quinta-feira (25).

Para Jair Bolsonaro, obrigar o pagamento da dívida (que já se arrastava há décadas), justamente neste momento de sua gestão à frente do Palácio do Planalto, é o único empecilho para que seja possível aumentar o valor do antigo Bolsa Família, ainda em R$ 192,00, para os R$ 400,00 do novo Auxílio Brasil, cuja previsão é beneficiar até 20 milhões de brasileiros.

A expectativa para mudar o cenário está na aprovação da PEC dos Precatórios, a proposta de emenda constitucional que empurra e parcela os pagamentos para datas futuras, liberando espaço no orçamento para atender a população carente, que aguarda ansiosa pela ajuda financeira.

A PEC foi aprovada na Câmara e aguarda análise no Senado Federal.

“O senhor acha que estes precatórios todos, neste volume, que chega a mais de 90 bilhões, foi proposital, acha que eles anteciparam sentenças para o governo tivesse esse mundo de dinheiro para pagar”?, perguntou Lacombe.
“Seria ingênuo dizer que não e tá na cara que foi para inviabilizar. Agora estamos buscando alternativas e contamos o apoio de ministros do Supremo, com o apoio do Tribunal de Contas da União. Tá lá no Senado, espero que seja aprovado”, disse Bolsonaro
“A grande mídia, aquela parte que está o tempo todo batendo em mim, faz um estardalhaço com pessoas pegando ossos no caminhão, e realmente é uma cena triste, mas quando quero aumentar dentro do teto e com responsabilidade, essa grande mídia me acusa de querer fazer demagogia e um plano eleitoreiro. Olha, quem ganha 192 por mês e passa para 400, é um alento. Não é um plano eleitoreiro, mas para não deixar morrer de fome”, completou o presidente.

Ninguém mais precisa dizer o que todos já sabem, pois foi o próprio Zé Dirceu que avisou: A esquerda quer tomar o poder, o que é diferente de ganhar uma eleição.

E, para tanto, utiliza-se de todos os meios e ‘parceiros poderosos’, ainda que o lado fraco, o povo, continue sofrendo. O culpado, claro, será sempre Bolsonaro!

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias